Lula frita Tuma Junior, porque a ligação com a “máfia chinesa” já está confirmada

O delegado Romeu Tuma Júnior já era.

Hoje, o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, encaminhou ao presidente Lula, no Palácio Planalto, ato de exoneração do filho do senador Romeu Tuma do cargo de secretário Nacional de Justiça do Ministério da Justiça.

Tuma Júnior responde a três procedimentos de investigação junto à Comissão de Ética da Presidência da República, junto ao próprio MJ e à Polícia Federal, todos eles por causa de envolvimento com a máfia do contrabando e da pirataria e a máfia chinesa.

O ministro fez o trabalho que Lula lhe encomendou: livrar-se de Tuma Junior, que poderia prejudicar até a campanha da Dilma Roussef, já que as ligações com a chinesada tem até grampos telefônicos.

Tuma Júnior, que sempre investigou e denunciou pessoas, agora vai ter que se defender.

Só para contextualizar: a família Tuma, em particular Romeuzinho, sempre foi amiga de um camarada chamado Paulo Li, que, por sua vez, sempre teve ligações com Law Kim Chong. Li era sócio de atividades ilegais do funcionário do Ministério Público de São Paulo Lee Men Tak, que – a exemplo de Paulo Li – está preso desde o ano passado.

Tak foi preso dentro do Ministério Público de São Paulo por policiais federais.

Os agentes federais apreenderam ainda computadores do MPSP que eram usados por Tak, onde ele fazia contabilidade e negócios com equipamentos eletrônicos chineses clandestinos e piratas.

Lee Men Tak tem mandado avisos de que tem muita coisa a revelar.

Mas até agora, parece que ninguém quer ouvi-lo.

Ouvir o china é pôr na frigideira muita gente boa.

O Bacalhau tem avisado, mas…

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

3 Respostas para “Lula frita Tuma Junior, porque a ligação com a “máfia chinesa” já está confirmada

  1. Kanda

    Ele já teve 30 dias de férias “para melhor se defender. “Defender”, no caso, foi acusar e exigir punição a quem “vazou” informações sobre ele. Parece que nunca leu nem o(s) Código(s) de Ética e nem a Constituição. Se tivesse lido, saberia que não poderia dizer a toda a imprensa que “ele é amigo de quem ele quiser e ninguém tem nada a ver com isso”. Também acho que ninguém tem nada a ver, se não fosse aqueles artigos que falam em vida pública e privada… Puxa, que difícil ser funcionário público!

  2. Kanda

    O processo original dos Lee fala em despachantes aduaneiros, lojistas, gráficos, um ex-oficial do Exército Brasileiro e até mesmo um ex-membro do Serviço Secreto do Chile. Esses dois últimos não constam desde o começo do processo deles. Será que eles são secretíssimos?

  3. apologia ao exterminadores milicianos paulistas

    http://www.al.sp.gov.br/StaticFile/integra_sessao/074aSO090601.htm

    Pode sentar o aço que eu seguro, chega de hipocrisia, rota na rua, façam o que vcs fazem melhor!

    Uma forma democrática de dizer que pode descer o sarrafo que eu seguro!

    Aqui o filho chora más a mãe não houve, o chicote estala e a batata assa!

    Enverga o bambú que o coro aguenta!

    CHEGA DE HIPOCRISIA, ROTA NA RUA! O ENFRENTAMENTO É UMA MERA OPÇÃO DO DE CUJOS!


    É bom dizer ainda que uma boa parcela daqueles que foram detidos deveria estar presa, mas alguém soltou. Soltam os ladrões na rua para roubar a população.

    É um círculo vicioso: o bandido é colocado nas ruas para cometer crimes.

    Mas a Polícia prende e depois soltam tudo quanto é bandido para as ruas.

    mas se o policial torcer o dedo de um bandido ao prendê-lo, sai na primeira página do jornal.

    o Coronel Paulo Telhada assumiu o controle da Rota, da qual tive o privilégio de ser comandante junto com o Deputado Conte Lopes. Gostaria que os senhores lessem no Diário Oficial a manifestação do Secretário Antônio Ferreira Pinto. O Secretário diz que a Rota é uma tropa de elite e algo precisa ser mudado, ela vai ser usada para enfrentar o crime violento.

    São Paulo tinha que estar em pé de guerra, a imprensa deveria querer saber por que isso aconteceu: “Não, deixem isso para lá. É dos direitos humanos dos bandidos.”

    No entanto, alguma coisa está mudando. O ofício de assunção de comando do Coronel Telhada foi incisivo, mostrando que a Polícia está atenta. E melhor: o Secretário, Dr. Antônio Ferreira Pinto, ao falar em nome do Governador, mostrou que a postura será outra.

    São Paulo tinha que estar em pé de guerra, a imprensa deveria querer saber por que isso aconteceu: “Não, deixem isso para lá. É dos direitos humanos dos bandidos.”

    No entanto, alguma coisa está mudando. O ofício de assunção de comando do Coronel Telhada foi incisivo, mostrando que a Polícia está atenta. E melhor: o Secretário, Dr. Antônio Ferreira Pinto, ao falar em nome do Governador, mostrou que a postura será outra.

    São Paulo tinha que estar em pé de guerra, a imprensa deveria querer saber por que isso aconteceu: “Não, deixem isso para lá. É dos direitos humanos dos bandidos.”

    No entanto, alguma coisa está mudando. O ofício de assunção de comando do Coronel Telhada foi incisivo, mostrando que a Polícia está atenta. E melhor: o Secretário, Dr. Antônio Ferreira Pinto, ao falar em nome do Governador, mostrou que a postura será outra.

    revigora o ânimo da tropa com a visão sempre inovadora de quem chega com entusiasmo e vontade de acertar, à sua feição e modo.

    “se eleito, vou colocar a Rota na rua”. Sinal evidente que a Rota, desde esse período, não mais estava na rua! Não mais atuava em sua plenitude, a despeito do vertiginoso crescimento do crime, em suas facetas mais violentas. Esse marasmo se prolongou no tempo, com algumas poucas e isoladas exceções.

    Com o decorrer do tempo, valores absolutamente indispensáveis ao bom desempenho das missões afetas à Rota, foram esgarçados, quando não foram simplesmente desprezados.

    A ousadia, o destemor e a iniciativa se dissiparam e deram lugar ao imobilismo por culpa daqueles que se acomodaram, não querendo, nem de longe enfrentar questões decorrentes e inerentes de um agir enérgico, pressuposto de um Estado forte, que não abre mão de sua autoridade, sob pena de seu povo ficar à mercê de criminosos covardes e cruéis. Muitos se encolheram, fugindo de responsabilidades inerentes ao cargo.

    Em matéria de Segurança Pública o “politicamente correto” beira à hipocrisia.

    Por isso, imperioso que se registre que a Rota, esta importante ferramenta de combate ao crime violento, se tomou sucateada

    Esta era a triste constatação que tinha eu como cidadão, cuja sensação de insegurança crescia a olhos vistos, na mesma proporção da insensibilidade dos que tinham sob os ombros a difícil tarefa de executar uma política de segurança pública.

    E não me reporto a passado recente, é bom que se frise!

    É tempo de mudar!

    Agir com rigor no combate ao crime violento

    Há que se ter atitude!

    Bem por isso, esta data é significativa e tem tudo para ser um marco, como disse anteriormente. Bem por isso, a expectativa é muito grande. Bem por isso, a Rota deve voltar ao lugar que ocupava, com destaque e eficiência no combate aos criminosos violentos, audaciosos, desafiadores e covardes.

    Bem por isso a Rota vai se fortalecer, se equipar e atuar na defesa dos direitos humanos dos cidadãos, sejam eles do bem ou do mal. Não haverá distinções, na preservação desses direitos inerentes à pessoa humana.

    Ora, o enfrentamento é uma opção do criminoso. Só dele!

    Só poderia ser alguém que fez história com essa tropa, que arriscou a vida por centenas de vezes, que foi baleado e que agiu com reconhecida bravura, em oportunidades distintas, para fazer valer o principio da autoridade do Estado e o restabelecimento da ordem.

    Não é uma forma de homenagem ou de reparação de eventual injustiça. Longe disso: É a maior missão que a Policia Militar lhe atribui e que será bem sucedida, na medida em que seus Oficiais e praças, corresponderem à confiança e a esperança que neles você depositar.

    A missão é árdua mas o resultado será uma consequência do profissionalismo de todos vocês.

    A Rota pode ser imitada, jamais igualada.

    Transmitir sensação de segurança, através da pronta resposta policial, visibilidade nas ações, etc;

    Essa tropa sabe de nossa dedicação e o povo pode confiar nesses valorosos policiais militares que não medirão esforços em combater os maus elementos, usando de todos métodos e esforços para colocá-los sob o peso da lei.

    Policiais militares do Batalhão Tobias de Aguiar, todo estado de São Paulo confia em vosso serviço, em vossa coragem, em vossa abnegação à causa pública.

    Faça guerra com quem está na guerra e não com quem não tem nada a ver com isso.

    Polícia vai sempre existir e cumprindo aquilo que é determinado pelos seus governantes. ”

    Trechos extraídos da 074ª SESSÃO ORDINÁRIA, em 01 DE JUNHO DE 2009, cujo Presidente era JOÃO BARBOSA e o Secretário era OLÍMPIO GOMES.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s