Sociedade de delegado com mafioso italiano nunca foi investigada

Casa censora da policia civil paulista: investigacao meio-muzzarela meio-calabreza e ommerta.

Em 2002, o delegado Djahy Tucci era o seccional de Braganca Paulista. Era socio de um mafioso italiano numa casa de cambio. A estranha ligacao entre os dois nunca foi investigada.

Descobriu-se que o italiano nao era que dizia ser. Era um perigoso mafioso italiano que veio se esconder no Brasil e virou socio do delegado em Jundiai. O negocio era uma casa de cambio.

O delegado disse que foi surpreendido. Que nao suspeitava do italiano. Que o mafioso era amigo da cidade toda.

Delegado, mafioso italiano e casa de cambio – leia-se – doleiros e lavagem de dinheiro. Com tudo isso em cima e a Corregedoria nunca investigou direito esta historia. Tudo foi feito para nao dar em nada e cair no esquecimento.

Nunca veio a publico o que de fato estva por tras desta estranha sociedade. Quem era o chefe da Corregedoria na epoca?

Vamos dar uma pista: o delegado prosperou na carreira e hoje eh o todo poderoso seccional de Jundiai. O italiano foi deportado e cumpre pena na Italia. A filha do mafioso virou agente de telecomunicacoes da Policia Civil de Sao Paulo e trabalha aonde ? Na seccional de Jundiai com tio Tucci.

Contaram a este blogueiro que o delegado viaja anualmente a Italia. Sera? Sera que vai visitar o ex-socio? E o que aconteceu com a casa de cambio? Sera que nunca ninguem vai investigar esta historia?

Mais detalhes na materia abaixo:

O Portal de Notícias da Globo

26/07/02 – 00h00 – Atualizado em 26/07/02 – 00h00

Às escuras

Italiano procurado pela Justiça de seu país vivia tranqüilamente em Jundiaí, no interior de SP.

Tamanho da letra

A Polícia Federal do Brasil procura um italiano suspeito de ter ligações com a máfia, e que foi condenado na Itália a quase trinta anos de prisão. Ele passou vinte anos morando na cidade de Jundiaí, interior de São Paulo, onde se passava por um empresário e fazia negócios até com policiais.
Na Itália, Vincenzo Consoli é um criminoso condenado a 27 anos de prisão por homicídio. Mas em Jundiaí, interior de São Paulo, se passa por um empresário bem sucedido.

“Ele gravitava nos meios policiais, políticos, judiciais. Enfim ele gravitava em toda a sociedade se fazendo parecer como um empresário bem sucedido, o que granjeava simpatia e confiança de todos os que estavam em volta dele”, conta Paulo Bicudo, delegado seccional de Jundiaí.

Com nome falso de Alessandro Ghezzi, ele fazia negócios livremente pela cidade. A confiança no italiano era tanta que a polícia alugou uma das casas dele para usar como delegacia.

Só no começo desse ano a polícia Brasileira descobriu a verdadeira identidade do italiano. Vincenzo Consoli é procurado pela Interpol em 180 países. Em 1978, ele foi condenado por assassinato. Fugiu de um hospital psiquiátrico na Sicília um ano depois. E veio para o Brasil. Aqui, com o nome falso, chegou a ser processado e absolvido por outro homicídio.

O italiano ainda era sócio de Djahy Tucci Junior, um delegado seccional de Bragança Paulista, também no interior de São Paulo numa empresa de câmbio e turismo. O delegado confirmou a sociedade com o italiano e disse que nunca desconfiou de nada. “Era um homem bom, meu amigo e da sociedade de Jundiaí inteira”, afirma.

Apesar do nome ser falso, a identidade do italiano foi expedida pela Polícia Federal que agora quer saber como ele conseguiu o documento.

http://g1.globo.com/jornalhoje/0,,MUL1136949-16022,00-AS+ESCURAS.html

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “Sociedade de delegado com mafioso italiano nunca foi investigada

  1. Adauto Gomes

    Sou o reporter que fiquei por carceres privado,a serviço do programa Brasil Urgente,apresentado na ocasião pelo Roberto Francisco Cabrini,pois me colocaram numa fria para gravar com mafioso VICENZO,tenho as imagens em meu poder se caso houver interesse na historia real dos fatos,e que iria tirar vantagens com toda a situação, em troca da fama com para obter por bastante tempo se ultilizando das imagens,feito na casa onde o mesmo se escondia,por lá fiquei por algumas horas de terror mas conseguir algumas declarações que compromete muitas pessoas da Policia Civil ,Militar e Federal,album de fotos e mesmo chegou a dizer que tinha carteira da Policia Civil e a filha não prestou concurso o compadre Djair tutti que fez tudo,pois a sede da Delegacia de Jundia ,era do proprio com o nome frio,ATENÇÃO COPIAS DAS IMAGENS ESTÃO EM MEU PODER,outra no DIPO,DGP,SECRETARIA DA JUSTIÇA,a prisão foi feito pelo DEIC-DELEGADO MANOEL CAMASSA,NA FRENTE DO SBT,pois na
    BANDEIRANTES NÃO EXISTE JORNALISMO VERDADE,ME DISPENSARAM MESMO DOENTE E COM VARIOS PROBLEMAS DE SAUDE ,CAUSADO PELAS AS AMEAÇAS E CHUTES,PONTAPES,CORONHADAS E ETC.,BAND fez o pior mandou que mentisse para livrar das resposabilidade,pois não aceitei e fui despensado,estou até hoje cuidado da minha saúde,sem emprego e sendo ameaçado por aqueles que são amigos do mafioso.

    Qualquer duvida estou a inteira disposição

  2. Adauto Gomes

    Agora parece que o Delegado Dejahy Tucci Junior,socio do ¨Mafioso Italiano¨Vicenso Francesco Consoli,vai ser ouvido pela Justiça para se explicar o seu envolvimento com o seu sócio aqui no Brasil,pois toda as propriedades com o nomes frio que que o Mafoioso usava,que após a sua prisão,alguém conseguiu dar um jeitinho brasileiro de vender,as propriedades com os nomes falso que usava,teve procurador que fez negocio para salvar os bens,que não era poucas,o advogado do Vicenso que foi o mentor,pois no dia da prisão do seu cliente no DEIC,chamou o Vicenso no canto da sala do Delegado Camassa vez ele assinar alguns documentos com nomes que usava falso, e pediu para não falar os nomes de alguns,membros que faz parte da sociedade com o jogo de asar maquinas de caça – niquel no Brasil,e tem algumas coisas que até hoje,não ficou explicado perante a Justiça e a associedade,porque a REDE Rádio e Televição Bandeirantes de Comunicação,com seu apresentado Roberto Cabrini,pagou o Taxi,para ir até a emissora a pedido do Sr. Simão Pedro ,que na época era o Diretor de TV,que através da sua esposa que trabalhava na Rede Record no programa Cidade Alerta ,que pediu para entra em contato com o seu marido Sr. Simão Pedro e o mesmo abraçou a historia,pagando taxi, fez o mesmo a de entrar na emissora e o Cabrini fez entrevista com o ¨Mafioso Italiano¨ , tudo com a autorização da Diretoria Geral da Bandeirantes, João Carlos Saad,que deu ao Cabrini, que o mesmo pagasse com o dinheiro da Band,Taxi e Motel Pop´s na Raposo Tavares e dinheiro para o mesmo se manter e conseguir fugir após as gravações de alguns documentos que estava ao seu poder na Cidade de campinas ou Jundiai,o Mafioso procurou alguns socios de Bingos e casas de Caça – Niquel,para juntar o máximo de valor para pagar a sua fulga para o paraguai,para se encontrar com o comendador que era um dos socios na maquinas de caça- niquel e outras associações do crime organizado com varios delegados de policia e oficiais da pm,e agentes da pf que dava cobertura para todos da organização,será que após 10 anos, a Justiça vai começar tomar frente de tudo que aconteceu,pois na prisão do Mafioso Italiano na frente do SBT,quem estava lá dando cobertura para o Vicensa Francesco Consoli ,era o Simão Pedro o Diretor de TV – Bandeirantes,querendo dar uma letra ao Italiano,temos a imagens do Simão Pedro na hora da prisão, O DEIC ,fez a prisão e a Policía Federal
    ficou com Mafioso na sede da Polícia Federal, o mafioso foi ouvido na Justiça Federal e testemunha foi ameaçada na sede,na época era na praça da Republica,pela Advogada,e sua filha agente de comunicação da Polícia, pelo fato de não deixar a testemunha declinar na frente M.M. JUIZ de Direito, alguns fatos que compromete a Polícia Federal, Delegados e Agentes,que era sócio do Delegado Belinho,O Mafioso chegou a dizer que teve de matar o tio,para ficar não só com a mulher dele,como também com os bens,que não era pouca coisa, pois o Vicenso Francesco Consoli,aqui no Brasil cometeu um homicidio ,vitima seu proprio tio,segundo palavras do Mafioso Italiano,será que não existe outros crimes a ser investigado não pela banda podre da polícia e sim por Políciais que não só tem a familia da PC,mas tem a honra de ter familiares que poderia ter passado por estas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s